segunda-feira, 6 de julho de 2009

ADOLESCENTE - QUANDO É A HORA?


É interessante como o medo de falhar ou de ter um desempenho sexual insatisfatório está presente na cabecinha dos adolescentes. Principalmente os do sexo masculino. Empurrados cada vez mais cedo para a iniciação sexual, muitos se assustam com o que ocorre com o corpo deles. E com a emoção!

Imagine um garoto. Ele mal acabou de sair da puberdade, está com seus 15 anos, com os hormônios sexuais "borbulhando". Ele vai a uma festa e, de repente, entra de maneira triunfal aquela garota com a qual ele sonha todas as noites. Não apenas sonha, mas deseja. E ela se aproxima, abre aquele sorriso e corresponde ao interesse dele. Começam a conversar, se abraçam, se beijam, se tocam, se "amassam". E param por aí.

Apesar de não terem tirado sequer uma peça de roupa, ele vive todas as sensações de uma relação sexual. O desejo foi despertado pela visão que ele teve da menina. Ela se aproximou, demonstrou que também estava interessada, o que aumentou a sua excitação. Eles se tocaram e ... "não dá mais para segurar". Ele acabou ejaculando. Nas calças.

"Ouvi dizer que isto é ejaculação precoce", comentam vários adolescentes. Pode ter sido uma ejaculação que veio antes da hora desejada e num local inadequado, é verdade. Mas este tipo de situação, principalmente em se tratando de adolescentes, está longe de ser uma disfunção sexual. O que muitos garotos não sabem é que aos poucos o homem vai aprendendo a perceber suas reações e sensações e vai descobrindo formas de lidar com elas, de administrá-las. Coisa difícil de fazer sem viver as situações.

Aos poucos o homem vai descobrindo maneiras de retardar sua ejaculação para poder prolongar a relação sexual. Esta capacidade é esperada de um adulto e não de um adolescente.

O homem é considerado um ejaculador precoce quando registra sucessivas experiências frustrantes neste sentido. Sempre que vai se relacionar sexualmente, ejacula antes da hora. Para ser considerada uma disfunção sexual instalada é preciso que ele venha vivendo este problema há meses e não apenas de vez em quando.

E muita gente pergunta: mas qual é a hora certa de ejacular? Um, cinco, dez, quinze, quantos minutos após o quê? Não existe tempo cronometrado, nem fórmulas para uma relação sexual satisfatória. Cada um vai descobrir seu tempo. Cada casal vai descobrir seu tempo.

Aí está o mais importante e essencial. Que o casal se sinta satisfeito, que os dois parceiros possam atingir a plenitude da relação, sentir prazer, seja no mesmo momento ou em momentos diferentes.

Se o homem ejacula, enquanto a mulher ainda está entrando na fase da excitação, há - sem dúvida - um descompasso que acaba tornando a relação frustrante para os dois. E se isto acontecer de vez em quando, devido a circunstâncias diversas, deve ser encarado como algo natural.

O problema é quando se transforma numa rotina. Aí, a solução é procurar um especialista no assunto